Quando surgiram os primeiros rumores de que a nova novela das nove teria uma personagem autista eu fui logo falando…ai, que medo!

Até escrevi sobre isso aqui no blog no comecinho da trama.

Pensava que deveria ter medo da forma como a atriz representaria o autismo. Mas, não! Depois acabei descobrindo que meu maior medo deveria ter sido da reação das próprias pessoas que convivem com “os autismos”.

O mais novo motivo de pânico, senhoras e senhores, gira em torno de um beijo! Isso mesmo, um beijo…em uma obra de ficção! Cruzes!

Antes de publicar aqui a opinião de uma amiga, diga-se, a mais sensata e certeira que já li sobre essa “polêmica” 😉 , gostaria de acrescentar que eu não assisto essa novela por uma questão de bom senso mesmo! (e de tempo!) Não estou com saco para a falta de roteiro, conteúdo e senso do ridículo do autor com a trama como um todo. Se fosse boa eu assistiria sem problemas. Então, infelizmente, essa personagem caiu NESSA novela. E, se pensarmos bem, a Linda é uma das pouquíssimas, se não a única, personagem dessa trama que carrega algum conteúdo cativante de verdade!

Image

Por Adriana Moab Asda:

“Duas amigas me perguntaram o que acho da personagem Linda da novela estar se envolvendo com um rapaz.
Primeiro: é uma novela. E é da Globo. Então as coisas são romantizadas. Não é um documentário.
Segundo: a Bruna Linzmeyer é uma atriz admirável e tudo que ela faz tem muita alma. Não tem como as pessoas não torcerem pelo romance. É normal.
Terceiro: falar de autismo é igual falar de fruta. Tem de todo tamanho, cor e tipo. Há sim os que namoram, casam e têm filhos. Cada caso é um.
Quarto: a Linda não era estimulada. Difícil uma moça autista desenvolver tanto em tão pouco tempo sem estímulos profissionais (só com uma esteira, por exemplo!). Mais uma vez: é novela.
Quinto: a sexualidade da pessoa humana é inerente a ela, independente do grau de comprometimento cognitivo. Isso precisa deixar de ser um tabu.
Por último, não sofram com isso!! É novela! Esclareçam os mais próximos, falem sobre isso em suas redes e aceitem que há diferentes graus de autismo e que aqueles que conseguem expressar sua sexualidade devem ser orientados e assistidos e nunca tolhidos.”

 

Anúncios

About Evellyn Diniz

Hoje eu sou super mãe! Me formando todos os dias nas áreas de saúde e educação. Mas antes de adquirir super poderes fui muitas coisas e ainda sou! Vendedora, professora de inglês, apresentadora de TV, editora de imagens, cantora de banda de rock e fiz faculdade de jornalismo... Atualmente sou mãe e esposa em tempo integral e cuido da casa nas horas vagas! Minhas 3 filhas são minha continuação e minha continuidade. A caçula chama-se Stella Bertille que significa estrela brilhante. Ela veio ao mundo para mudar o mundo para mim, ela veio ao mundo para brilhar! Stella está vencendo o AUTISMO. Este blog é por ela. Destina-se a ajudar pais e mães a entenderem que o PODER de fazer nossos filhos atingirem a plenitude pertence aos pais. Aqui compartilho videos, fotos, matérias, experiências e pensamentos sobre o Transtorno do Espectro do Autismo. Coloque a sua capa e sua roupa de herói que os desafios aqui não são de faz-de-conta!

5 responses »

  1. Marlene diz:

    Esclarecedoras suas observações, mas o melhor é o quando vc diz:”não sofram, é novela”,A novela e as notícias são sensacionalistas quase sempre.As novelas trabalham com o final feliz, muito diferente dos contos de fadas há que se lembrar.Bem, se pudermos fugir da Globo, é bom.

  2. Hercilio diz:

    Os comentários são perfeitos, diversos sabores é um termo perfeito, melhor até que espectro…rsrs. Não vejo muita a novela, fiz questão de ver a cena, dizem que vai surtar, provavelmente porque a mãe vai surtar antes. Lina internet que ela vai surtar no enterro do irmã porque o pai diz que ela foi embora pra sempre e ela achará que o Rafael morreu, isso porque a mãe deve tê-lo afastado e a mãe lhe disse a mesma frase, isso sim é real, fazer a correlação entre duas coisas diferentes porque foi dita com a mema frase. Ficção é ficção e é sempre romantizada, mas parece fazer uma autista com menor deficit intelectual, quanto a atriz merece todos os elogios, com ou sem romatização faz o personagem muito bem.

  3. Álvida Langendorf diz:

    Realmente. Novela é novela. Infelizmente, o povo braseiro vive de novelas que de certa forma é um produto de mercado bem vendido no Brasil e no Mundo. Sou Assistente Social e Tia/Dinda de um Autista que hoje tem 27 anos de idade. Todos nós aprendemos muito com o nosso Autista. Na verdade, anda estamos aprendendo. Hoje, adulto jovem ele decaiu, ficou agressivo, tem convulsões de quase morte e não ficou mais tão lindo. As escolas especiais tem o direito de não querer mais. A família, nunca ou pode deixar de quere-lo. Até pode. Entretanto, quando a família não quer ou não pode assumir seus especiais, o Estado, que somos todos nós, somos obrigados a assumir, Quando assumimos isso? Simples. Pagando nossos impostos, pagando benefícios socioassistenciais, de saúde, educacionais, todos, extremamente fragilizados e sem garantia nenhuma de que essas pessoas não serão violentados pela nossa sociedade. O tema discutido dessa forma na novela, para mim, eu penso que é preocupante sim, pois em geral, eles são as maiores vitimas de abusos sexuais e de toda e qualquer forma de mau trato. Muitas vezes, na sua próprias famílias. Graça a Deus esse não é o caso do nosso Autista. Mas, infelizmente, trabalho com vitimas dessas situações. É, por isso, que acho importantíssimo efetivar sim, um debate através da mídia. Um debate sério nas buscas de soluções para que essas violências não aconteçam. Debates sobre a efetivação de Políticas Públicas e/ou Privadas/ONG’S sérias, que possam dar conta das demandas deles e das sua famílias bem como de pesquisas científicas sérias comprometidas em desenvolver novas formas de tratamento e de prevenção do problema. Temos que dar um BASTA SIM NOS ROMANCES DE NOVELA!.

  4. Paulo César diz:

    Sinceramente, não tinha nenhuma expectativa sobre o lado educativo da personagem em relação ao autismo, as opiniões acima relacionadas são bem expressivas e verdadeiras, mas confesso que como pai de um autista o romance me fez pelo menos sonhar e a muito tempo que eu não sonho algo tão grande, é impossível eu como pai de um autista não querer que esse romance desenvolva.

  5. Eliana Vasconcelos diz:

    Ótimo texto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s