Há duas semanas que penso sobre o Dia dos Pais. Confesso que busquei a inspiração necessária para escrever um texto bonito com rimas aqui e acolá. Uma pitada de emoção e voilá…feliz Dia dos Pais “especiais”!

Mas, olha só, meu blog é meio assim, sem linha editorial. Eu escrevo o que tenho vontade, do jeito que vem e escrevo o que vem de mais verdadeiro em meu coração! E o que veio dessa vez não foi nada poético! O Dia dos Pais me pegou na veia ruim, me pegou na semana da TPM!

Não que os pais não mereçam seu dia de bajulação! Olha, tem uns pais de autistas por aí que são show de bola. Fazem cursos sobre autismo, diminuem a jornada de trabalho pra ficar mais tempo acompanhando os filhos, levam nas terapias, cultivam uma paciência de Jó! Porém 1, como eu já disse antes, essa semana eu não estou na veia poética! Porém 2, peço que quem lê esse texto saiba detectar “algum humor” onde se aplica! 😉

Então vamos lá… aí você é homem…e teve um(a) filho(a). E esse filho não deu muito certo, não saiu bem como você planejou. Sua mulher “insiste” que tem “algo de errado” com ele. O médico “insiste” que ele é autista.

Psicólogos, me ajudem! O que acontece depois do que escrevi aí no parágrafo anterior está se tornando cada vez mais comum! Não me refiro a separação, nem ao divórcio! Refiro-me ao ABANDONO do barco!

Separação e divórcio são por si só palavras tristes para o casal e para os filhos. Mas, o que tem acontecido com preocupante frequência é que o pai ABANDONA o barco. 

Alguns pais continuam dentro de casa, ainda “casados” com você! Mesmo assim pularam fora, não querem ter nada a ver com aquele “problemão”! Por que? Ah, gente, porque eles não tem paciência, não tem “jeito”, não tem tempo, ora!

Outros abandonam o barco de vez, saindo de cena, passando uma borracha naquela vida que não saiu bem como o planejado por causa daquele filho que simplesmente “deu errado”!

Não estou aqui para julgar ninguém. Cada caso é um caso. Não há estatísticas oficiais. Mas, repare bem, a mãe é quem fica com a responsabilidade toda, esteja o “homem” ainda dentro de casa ou não.

Esse não é, meus caros, um discurso feminista. Não! Saibam que eu DETESTO esses micos feministas, morro de vergonha e corro léguas desses rompantes cor-de-rosa e jamais queimaria meu sutiã em praça pública! 🙂

Minha reflexão aqui é fruto de muita frustração. A frustração que tenho visto nos rostos e ouvido nas vozes de mulheres que engoliram o choro e estão lutando pela superação de seus filhos SOZINHAS! Filhos esses que elas não fizeram sozinhas! Filhos que elas inadvertidamente tiveram de uns bebezões, de uns certos adolescentes de carteira assinada que fizeram biquinho diante da situação adversa e saíram pela tangente!

Ora, meu amigo, se você sonhou em levar o menino pro estádio de futebol, então trabalhe pra isso! Esse é o verdadeiro PODER DOS PAIS! Eu tenho uma filha que não suportava nenhum ambiente cheio de gente, chorava desesperada até se agente ligasse o rádio perto dela! Essa mesma menina hoje passou a tarde de domingo num shopping lotado brincando e se divertindo no parque. 6 ANOS (muito suor e lágrimas) DEPOIS!

Seu filho pode mais! Sua filha pode mais!

Poxa, por que que agente tem que ter paciência e os homens não? Por que agente tem que ter coragem de levar esses meninos que tem uma força de leão sozinhas no supermercado, na feira, no shopping e eles podem choramingar que isso dá muito trabalho? Bebezões resmungões! 

Imagem

Olha, eu penso assim, cada qual no seu cada qual! Não precisa medir forças com os homens, não precisa competir, nem dividir 50% na ponta do lápis. Não se trata disso!

Eis o que me inspira…ver as histórias dos autistas que tiveram PAI E MÃE atuantes! Chorei ao ouvir hoje um menino na série sobre autismo do Fantástico dizendo que ama a mãe e que o pai é um grande exemplo para ele! É assim que deve ser! Até mesmo com os pais separados! O pai pode estar divorciado da mãe, mas ainda assim estar “dentro do barco”! Por que não?

Choro toda vez que ouço a Carly Fleishmann dizer o quanto seu pai é importante para ela e que ela AMA ouvi-lo contar histórias para ela! Choro quando vejo aquela matéria sobre um pai que inventou uma espécie de bota para o filho “incapacitado” pela paralisia cerebral jogar futebol. (colei o link ao final do texto para os pais se inspirarem!)

Dizem que pai mesmo é aquele que cria. E criar um filho ou uma filha com autismo é uma aventura com todos os seus ingredientes e intensidade. À saber: alegrias, tristezas, frustrações, inseguranças, incertezas, vitórias, conquistas…

É preciso amar além da previsibilidade. É necessário acreditar além do que é visível. É preciso ser um HOMEM com todas as letras e músculos! Um pai que seja parceiro da mãe, um companheiro só não serve. Um homem inteligente o bastante para confiar no sexto sentido feminino e ainda assim imprimir sua assinatura nas decisões mais complicadas.

É amigas… #oremos para esse HOMEM brotar! #oremoscomforça porque a maior característica imutável masculina é o gosto por ser imutável! Mas, vejam senhores, esse nosso desejo feminino não é egoísta, não pensem que estamos advogando por nós mesmas. Os nossos filhos é quem almejam esse PAI amoroso. Queremos SOMAR com vocês! E isso não significa que sonhamos com um conto de fadas (afinal o autismo já se encarregou de transformar nossas carruagens em abóboras)! Queremos que, mesmo que haja algum aborrecimento e dificuldade, a nossa vida seja mais leve. Que o nosso lar seja a primeira referência terapêutica para nossos filhos com autismo. Eles precisam desse equilíbrio, dessa união.

O cuidado pós-diagnóstico com a mãe e o pai ainda não são tratados com a devida importância. Infelizmente temos que atravessar todas as tormentas e, como eu disse antes, engolir o choro pra começar a lutar em tempo recorde! Tenho muito o que agradecer a Deus pelo meu casamento que sobreviveu a essa tempestuosa notícia do autismo da minha filha. O aprendizado é diário, com ou sem flores!

Bom…e como nem tudo são flores e, como diz minha filha adolescente, não tá fácil pra ninguém…aí vão dicas bem-humoradas de presentes para o Dia dos Pais:

-Para o pai sempre sem tempo que trabalha muito – O livro “O pai sessenta minutos” de Rob Parsons. (pra ensinar que qualidade de tempo é melhor que quantidade)

-Para o pai que está cansado demais sempre – um complexo vitamínico qualquer tipo Gerovital ou aquele ômega da Top Term que a mulherzinha garante que dá uma energia danada!

-Para o pai que diz que não sabe brincar – inscreva-o no próximo workshop do Sonrise!

-Para o pai sem paciência – uma bíblia, ler o livro de Jó primeiramente!

-Para o pai que você já tentou de tudo e não tem jeito – uma passagem SÓ DE IDA pro Cazaquistão!

É isso! Espero que tenham gostado das dicas! Abaixo o link do video que citei do pai nota mil, que eu tenho certeza que não é perfeito, mas, como pai, ele é tudo de bom!

Certamente, queridos pais, os filhos autistas de vocês, se soubessem falar (alguns até sabem), diriam: pai, faz uma bota dessa pra mim? Uma bota! Essa bota, pro seu filho, pode ser uma pipa, um carinho, gestos de compreensão, um ou dois livros que você leu sobre autismo para entender o que ele sente. Uma bota pode ser você não se acovardar no pretexto do seu “cansaço” ou “falta de jeito com ele”. Seu sorriso quando ele consegue fazer algo novo pode ser essa bota fantástica! Ou, quem sabe, pode ser uma bota mesmo, igual a essa do video para ensinar seu menino a jogar!

Ah…ia esquecendo! Feliz Dia dos Pais pra você que ama e cria. Pros demais eu sugiro uma vasectomia! 🙂

Imagem

Anúncios

About Evellyn Diniz

Hoje eu sou super mãe! Me formando todos os dias nas áreas de saúde e educação. Mas antes de adquirir super poderes fui muitas coisas e ainda sou! Vendedora, professora de inglês, apresentadora de TV, editora de imagens, cantora de banda de rock e fiz faculdade de jornalismo... Atualmente sou mãe e esposa em tempo integral e cuido da casa nas horas vagas! Minhas 3 filhas são minha continuação e minha continuidade. A caçula chama-se Stella Bertille que significa estrela brilhante. Ela veio ao mundo para mudar o mundo para mim, ela veio ao mundo para brilhar! Stella está vencendo o AUTISMO. Este blog é por ela. Destina-se a ajudar pais e mães a entenderem que o PODER de fazer nossos filhos atingirem a plenitude pertence aos pais. Aqui compartilho videos, fotos, matérias, experiências e pensamentos sobre o Transtorno do Espectro do Autismo. Coloque a sua capa e sua roupa de herói que os desafios aqui não são de faz-de-conta!

7 responses »

  1. Flávia diz:

    Muito bom. Tem humor e verdade em casa parágrafo.

    • Sheila Castro diz:

      Adorei seu texto! Ah, preciso comprar uma passagem pro Cazaquistão, já que o pai do meu filho nem liga pra saber notícias…

  2. khauia diz:

    primeiramente meus parabéns. foi muito lindo o que acabei de ler e muito emocionante. eu acho que e porque o pai do meu autista comprou uma passagem só de ida pra bem longe ou seja pulou do barco a algum tempo mudou até de cidade. nem mesmo telefona. e isso e muito triste.

  3. Cida diz:

    òtimo Evellyn!

  4. Gabrielle diz:

    adorei o texto, incrível como consegue retratar o que nós mulheres sentimos ..

  5. Vitoria diz:

    Evellyn, parabens, vc. sempre surpreendendo , maravilhoso, verdadeiro!!!!
    E o video entao, eu numca tinha visto, fiquei emocionada.Realmente nao adianta ser pai sem participar. Que felicidade estampada no rostinho do menino. Coisa linda. Mais uma vez, parabens…….

  6. Aracy Tereza Castelo Branco diz:

    Maravilhoso! Vc descreveu com perfeição e riqueza de detalhe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s