-“Boa tarde, Márcia! Oi João Pedro, vamos lá? Hoje a tia vai fazer uma brincadeira super legal!”

A porta é fechada. A sessão do Pedro com a T.O. começa.

Márcia é a mãe do autista na recepção da clínica, Pedro é a criança autista dentro da sala.

Dentro do consultório a terapeuta trabalha com o Pedro. Os jogos, os desafios, muita coisa a aprender. Esse é o autismo lá dentro.

Do outro lado da porta a Márcia abre a revista Caras e passa as páginas sem ler um parágrafo sequer.  Seu pensamento está dentro da sala. Seu pensamento está no futuro incerto do Pedro. Esse é o autismo do outro lado da porta. Esse é o autismo sem atendimento.

Quantas vezes ali do outro lado da porta a Márcia chorou? Quantas vezes ela pensou: como vou pagar a terapia deste mês? Será que meus outros filhos já fizeram o dever de casa hoje? Será que o Pedro algum dia fará um dever de casa? Será que o Pedro vai dormir hoje à noite? Se ele dormisse… seria bom ter esse tempo com meu marido.

Mas o dia seguinte vem e as forças da Márcia se renovam no sorriso do Pedro. Essa é a sua terapia…vê-lo sorrir!

Márcia precisa ser forte, ela sabe. A sociedade não perdoa as birras do Pedro. O marido não perdoa a bagunça da casa. A vizinha de baixo não perdoa o barulho das passadas firmes do Pedro no meio da madrugada. A sogra não perdoa porque os “genes defeituosos” não vieram da família dela.  A amiga de infância da Márcia não perdoa porque a Márcia precisa sempre desligar o telefone quando a conversa está ficando boa. MÁRCIA, A IMPERDOÁVEL!

Tem Márcia que chora, tem Márcia que ri pra não chorar.

Tem Márcia que ama o Pedro, tem Márcia que ama a Gabriela, tem Márcia que ama o Lucas, tem Márcia que ama a Stella.

Tem Márcia pra tudo. Tem Márcia pra dieta, tem Márcia pra Sonrise. Tem Márcia no workshop da ABA, tem Márcia no protesto da Esplanada.

Tem Márcia que tem um Pedro, mas não foi ela quem o pariu. Tem Márcia que ninguém sabe, ninguém viu!

Tem Márcia com o filho encarcerado, tem Márcia com o filho incluído. Tem Márcia que o filho está num ambiente escolar fingido. Finge que aceita, finge que inclui, finge que aplica. E a Márcia não suporta mais fingir que acredita.

Tem Pedro de tudo quanto é jeito, Pedro grave, Pedro leve. Pedro que dança, Pedro que representa. Tem Pedro que poderia aprender, mas ele não senta.

Márcia que largou a carreira profissional. Márcia que trabalha com a cabeça lá no Pedro!

Tem mil realidades da Márcia. Tem mil realidades do Pedro.

Márcia é você, Márcia sou eu.

Que precisa da manicure e da massagem que te cure. Que precisa desabafar e se cuidar. Márcias que precisam de condições pra trabalhar.

Márcia é missão que não acaba. Márcia trava a batalha diária e a vence todos os dias, pois todo dia é dia de vencer. Pedro é a criança diferente. Pedro é muito além da gente. Pedro é muita areia pro caminhãozinho dessa sociedade. Pedro é arretado, Pedro é barbaridade!

Pedro não precisa de pena. Pedro precisa da ciência a seu favor. Pedro não precisa ser contido e sim que encontrem a origem de sua dor.

Levanta a cabeça Márcia, mesmo que ninguém venha a te cuidar. Acorda Márcia… acorda que a irmandade é azul e tem quem queira te abraçar.

O autismo do lado de cá da porta é bem difícil de levar. Mas você não pode parar, na fé, na força e no sorriso do teu Pedro…

Sorria Márcia, sorria!

(Essa é uma história “fictícia”, qualquer semelhança entre nomes e fatos terá sido mera coincidência!)

Imagem

Anúncios

About Evellyn Diniz

Hoje eu sou super mãe! Me formando todos os dias nas áreas de saúde e educação. Mas antes de adquirir super poderes fui muitas coisas e ainda sou! Vendedora, professora de inglês, apresentadora de TV, editora de imagens, cantora de banda de rock e fiz faculdade de jornalismo... Atualmente sou mãe e esposa em tempo integral e cuido da casa nas horas vagas! Minhas 3 filhas são minha continuação e minha continuidade. A caçula chama-se Stella Bertille que significa estrela brilhante. Ela veio ao mundo para mudar o mundo para mim, ela veio ao mundo para brilhar! Stella está vencendo o AUTISMO. Este blog é por ela. Destina-se a ajudar pais e mães a entenderem que o PODER de fazer nossos filhos atingirem a plenitude pertence aos pais. Aqui compartilho videos, fotos, matérias, experiências e pensamentos sobre o Transtorno do Espectro do Autismo. Coloque a sua capa e sua roupa de herói que os desafios aqui não são de faz-de-conta!

130 responses »

  1. Janaina Lacerda diz:

    Em todos os depoimentos chorei! Tantas vezes passei por situações similares. Sou mãe, de um lindo menino de 12 anos com transtornos psiquiátricos. Muda a patologia mas a força interna de todas as mães é a mesma. Passei e passo por várias dificuldades…. o saldo que tiro de tudo é o meu amadurecimento pessoal me impulsionando a cada dia prosseguir por ele com ele sempre. Parabéns a todas vocês mamães. Digo sempre não são mães especiais e sim iluminadas por Deus.

    • Angela diz:

      Que texto lindo! “Je suis Marta”‘ que não pode desistir…e Pedro que tem a difícil missão de transformar as pessoas! Me encontro muitas vezes do outro lado da porta…Meu anjo azul tem 17 anos é todo feito de amor e sentimentos nobres.

  2. ROSE NASCIMENTO diz:

    Como sempre choramos e sorrimos a cada desafio a cada conquista . Hoje meu filho tambem tem 12 anos diagnostico sindrome do X FRAGIL aos 5 anos .Tudo que precisamos era somente termos acesso a medicos e terapias necessarias ao desenvolvimento de nossos filhos sem termos que pedir ou implorar visto que eles nasceram com essas necessidades especiais! Somos sim maes plenas escolhidas a dedo para lutar e vencer qualquer desafio e cada descoberta. A minha alegria e ver no sorriso de meu filho a emoçao de cada de cada descoberta e a vontade de ir mais alem!! FILHO PODE CONTAR COMIGO SEMPRE PORQUE TE AMO E SEI O QUANTO VOCE SE ESFORÇA PARA MELHORA CADA DIA MAIS VOCE E MEU HEROI …. …. MAE AMADA FILHO QUERIDO

  3. Ainda encantada com seu blog… blog além de um blog…blog que gera ação, reação…

  4. Padma Surya diz:

    Tá bom, se era para fazer chorar já fez. Somos todas Márcias vulneráveis demais e fazendo de conta que é forte. Precisamos de ajuda também, precisamos muito. Eu preciso.

  5. Patrícia Binhardi diz:

    Amei…Me vi nesta Márcia..pois somos um misto de Fortaleza e Sensibilidade…
    Fortaleza porque damos conta de tantas situações, onde nossa resiliência é testada diariamente.
    Sensibilidade porque passamos a estar sensível a tudo…aos pequenos detalhes, que para outros podem ser pequenos…, mas para nós são grandiosos, como por exemplo o sorriso de nosso filho…

  6. luiz geraldo diz:

    Somos todos marcia eu tambem tem um pouco de marcia ou sera sou completamente uma marcia. Tenho um filho autista ufa! o cara tem energia pra la de mil

  7. valeria gonçalves ratto diz:

    Emocionante…chorei também…tenho chorado todos os dias, meu Nicolas 9 anos, autista

  8. Neilda Silva diz:

    Não há como ler e não se emocionar… é de uma simplicidade na forma de dizer a verdade, que é muitas vezes tão dura, porque nossa sociedade não nos entende, não entende nossos Pedros! Parabéns!

  9. Lucimar diz:

    Gostei muito do texto ! Simplificou tudo, mas em milhares de formas…obrigada !!
    Sou mãe de dois meninos autistas, mas que no dia-a-dia, superamos juntos os desafios.
    Abraços,

  10. Marilza Souza diz:

    Qtas vezes me senti uma Marcia ali na sala de espera,na rua ,na escola ou em qualquer lugar…..é doído Mas em algum lugar encontramos alegria e fé e vamos levando..Encantador essa historia,nossa realidade…

  11. Maria Adélia diz:

    Nossa eu sou Marcia, as vezes fortes e muitas vezes fragil, mas sempre lutando com meu filho para vencer mais uma etapa. Os preconceitos são muitos e agente precisa sempre de palavras consoladoras e fortalecedoras. Amo demais meu menino e para mim cada dia é um desafio contante.

  12. Maria José Agostini Fraga diz:

    É tudo que sinto. Pra mim não é nada fictício. Meu filho é o PEDRO na vida real 24horas. Ainda tenho uma filha DISLÉXICA, com sérios problemas de comunicação, também na escola.fingindo que aprende e as escolas por onde ela passou, nem se quer fingiam ou fingem que a incluem. Meus filo são muito sós. Mesmo sendo pedagoga apaixonada pela educação (para mim TODA ELA ESPECIAL), como outras mães estou sempre lendo, buscando sites e blogs que possam me ajudar, além dos médicos/especialistas. MAS DEVO CONFESSAR QUE ALGO ESTÁ ME DEIXANDO PROFUNDAMENTE TRISTE,estou desenvolvendo “PÂNICO” só de ouvir as vozes deles. Já estou me tratando com especialistas, mas mesmo assim, as vezes fica impossível. Parece que vou pirar. Porque não piro? FÉ em DEUS, muita oração! Que DEUS ABENÇOE A TODOS E ÀS SUAS FAMÍLIAS !!!!

  13. Ivone diz:

    Esse texto relata exatamente nossa realidade que temos filhos autista…Muito bem colocado as palavras…

  14. Regiane Araujo diz:

    Oi Evellyn! adoro seu blog e tudo o que você escreve, mas esse texto aqui toca de mais meu coração! Obrigada querida! somos todas Márcias vivendo e lutando para fazer nossos Pedros felizes e sermos felizes ao lado deles! Beijos!

  15. Sandra Santos diz:

    Perfeito…é bem isso mesmo!!

  16. Rosane Marchetti Clipes diz:

    oiiii!!!!sou completamente marcia e tbem tenho um Pedrinho.Força para todos nos e que Deus nos proteja.

  17. TELMA REGINA diz:

    NOSSA FOI DE ARREPIAR ESSE TEXTO, SOU UMA MÁRCIA, E O MEU PEDRO CHAMA-SE ALEXANDRE E SOFRE DE TRANSTORNOS NEUROLÓGICOS, ESTOU AINDA APRENDENDO COMO FAZER O Q FAZER, APESAR DO MEU ANJO JÁ TER 13 ANOS DE IDADE… SEI QUE ENQUANTO DURE ESSA JORNADA, TEREI QUE ESTÁ SEMPRE DISPOSTA A APRENDER, SEM DESISTIR… SEI Q TODO DIA TRÁS UM NOVO DESAFIO, EM CADA BATALHA VENCIDA DEUS VAI ME ENCHENDO DE FORÇAS, PQ ELE SABE O QUANTO É SOLITÁRIO ” SER MÁRCIA”… MÁRCIA QUE TODOS COBRAM, CRITICAM, HUMILHAM… MÁRCIA Q A SOCIEDADE EXCLUI JUNTAMENTE COM O NOSSO PEDRO… MÁRCIA QUE FOI ABANDONADA PQ QUEM DEVERIA SER APOIO, AJUDA AMOR… AS LÁGRIMAS QUE DESCEM DO MEU ROSTO AGORA É MAIS DE ALÍVIO DO Q QUALQUER COISA, PQ ATRAVÉS DESTE TEXTO DEUS FALOU COMIGO ASSIM: TÁ VENDO AÍ QUANTAS COMPANHEIRAS DE LUTAS VC TEM? EU VOU A FRENTE DE TODAS VCS, EU SEI O QUANTO SÃO ESPECIAIS! BLOG DE DEUS ESSE AQUI, PRESENÇA DIVINA EM MIM, FIQUEMOS TODAS SEMPRE COM DEUS, NO CALOR DO SEU ABRAÇO E DO SEU CARINHO…

  18. Eliane Javarini diz:

    As vezes não entendo como a gente encontra tanta força para superar tantas lutas, não tem outra explicação que é Deus nos orientando e nos colocando pra frente sempre. Sou uma Márcia da vida!

  19. Raimunda Queiroz diz:

    Que coisa mais linda! e real na minha vida e na de muitas por aí. Mas acredite nossa força vem, além dos nossos Pedros ou Gabriela, a minha, de palavras como essas aqui, assim o caminho fica mais florido, continua comprido mais há flores pelo caminho. E a cada sorriso, da minha Gabriela, mais uma flor para esse caminho, e cada palavra de incentivo mais uma flor para esse caminho, assim vamos…

  20. REGINA FURQUIM diz:

    Somos todos marcia eu tambem tem um pouco de marcia ou sera sou completamente uma marcia. Tenho um filho autista ufa! o cara tem energia pra la de mil

  21. maria socorro pereira batista diz:

    Hj, não sou somente uma simples enfermeira, sou uma mãe capacitada por Deus e por meu esforço para ser uma mãe especial de Mateus, especial digo: pois sou o pai, a terapeuta a medica e muitas outras…, pois aprendi com ele e com a vida, como todas nós mães aprendemos, parabéns para todas.

  22. gualter alves de oliveira diz:

    Eutenho um filho autista muito inteligente eu o amo muito

  23. Ana Burghi diz:

    Parabéns pela iniciativa ! Sou Terapeuta Ocupacional e Gestora Escolar , com consultório desde 1985 e momentos incríveis de desafios e imensos prazeres.
    Que nossa sociedade possa se desenvolver para a diversidade , livre de “interesses” e com mais compaixão !

  24. Mario de Oliveira Pinheiro diz:

    Tenho uma filha autista há 33 anos.A passagem do quadro severo para moderado de Flávia deveu-se a ela e ao amor que lhe dedicamos.Médicos não contam e as clínicas pelas quais passou também não porque se tirarmos a média dá zero.Vemos na rede um mercado com foco no autista crescendo de vento em popa: produtos , clínicas privadas, consultórios, terapeutas, cursos de mestrado, doutorado,extensões, etc.Mas, onde está o atendimento satisfatório(não falo em idealizações)?As associações representativas estão contaminadas por idéias de mercado, seus membros pensam com cabeça de consumidor e são raras as que pressionam o estado para a realização das políticas pensadas, projetadas e transformadas em lei.Queremos estruturas de atendimento público com a qualidade que os cidadãos autistas merecem.Abramos essas portas!Quem pode sair de casa que o faça, até por misericórdia. Ou alguém acredita que a nossa população é burra e acredita qua a sociedade do futuro será a de zumbis consumidores e o estado um grande mercado como querem os controladores da mídia manipuladora.?

    • Angela Arlene Bernardini diz:

      Muito bem, Mario, você aborda pontos importantíssimos. Também tenho filho autista adulto e penso como são ignorados , até mesmo nessa parte dos impostos recolhidos em cima do que consomem ,e que nada de nada reverte para a causa, ao menos. Abraços.

  25. Luíza diz:

    Evellyin, você precisa muito ver esta palestra: O lado invisível do autismo

    Será que já existe esse exame aqui no Brasil?

  26. Vamos junto…minha pequena foi diagnosticada com o autismo infantil…transtorno de espectro autista, ou seja qual for o nome. Seu nome é Vitória, e desde seu nascimento vem enfrentando duras batalhas e agora, mais uma a vencer. Parabéns pelo seu blog. Abc.

  27. Rosemere de Ameixa Fehlberg Correia diz:

    Lindo texto, não tem como não chorar, sendo também uma Márcia, meu Pedro chama-se José Henrique e tem 14 anos, autista atípico e deficiente auditivo. Parabéns

  28. Elsa Carvalho diz:

    É mesmo isto tudo,essa Márcia sou eu,parece que estava a falar de mim. Tenho um filho lindo de 3 anos que é autista. O que mais preocupa e que acordo todos os dias a pensar é como ira ser quando ele for para a escola… Não sei,vivo todos os dias com um aperto e um nó na garganta só queria libertar este nó… Muita força para todas as Márcias.

  29. Erica diz:

    Ola, me emocionei ao ler a historia da Marcia mas me vejo assim como ela sempre atras de excelentes coisas para meu filho Maycon, o meu neguinho infinito amada nao tem autismo mas ele e surdo, com paralesia cerebral e implantado.
    Chorar a atras das portas isso e real quantas vezes ja chorei e me pego chorando por querer a melhorar do meu pequeno.
    Forcas mamaes e familia fe coragem determinação obrigada bjos
    Deus abençoe vcs e os anjos infinitos …

  30. Rose diz:

    Tenho todas as Márcia dentro de mim embora me chame Rose o meu filho se chama Pedro lindo cheio de vida e o amo do jeitinho que ele é mesmo com tanto trabalho extra que ele me dá ele é o cara tem 8anos é uma figura.

  31. fernanda lindemann (Peti) diz:

    Pensando o que escrever, querendo escrever para me sentir parte desse grupo tão compreensível de Marcias e Pedros… Li e é claro que chorei pois a descrição da minha vida está na Marcia que abandonou a vida profissional, estuda muito sobre autismo, só pensa em como ver o Pedro mais feliz e ainda é rotulada de obssecada pois esqueceu de si mesma…adorei! Grande abraço Peti (Fernanda mãe do Gui de 10 anos)

  32. Amanda diz:

    Evellyn Diniz o texto é de sua autoria?

  33. Maria Helena Pedroso diz:

    maravilha
    meu neto é autista e n esta no brasil preciso conversar c pessoas p venha me ajudar procuro a onde se aplica o ABA e em casa tb

  34. Marlene diz:

    Nossa, eu sou uma Márcia. O meu Enzo me toma todo o tempo. Ele é SA e tem 12 anos. São tantas dúvidas, educação, sociabilidade, alimentação, hormônios…. A gente tem que ser mil….. E não podemos esmorecer… Senhor dai-nos forças para continuar e amar, sempre, muito, incondicionalmente…. Me vi no texto…. muitas se viram…. obrigada por nos traduzir….

  35. Mariele diz:

    Mães de crianças especiais tem obrigação de ser especial…
    Temos que banhar nossa alma com nossas lágrimas como se elas fossem um manancial de águas vivas que nos fortalece em cada amanhecer. Que nos encorajam a enfrentar a sociedade que não te entende, a enfrentar a escola quando somos cobradas de uma solução que você não tem. A cada raiar do sol eu digo: Senhor, me reveste com suas armaduras para mais uma batalha. 7:00 da manhã deixo o meu Eduardo na escola, desde então, trava-se a batalha…
    O telefone toca: – Será que é da escola? – Sim, é da escola! Meu Deus o que aconteceu? …. Vem o relato: …não temos condições de manter seu filho na escola sem medicação.
    Aí começa a batalha dentro de mim: O que fazer? Como fazer? A quem pedir ajuda? Ele já testou vários medicamentos e teve reações adversas. A visão escurece, vem a dor no peito e a vontade de chorar. Busco força no mais intimo do meu ser, levanto a cabeça e penso: – Vai passar.
    O meu eu me responde: – A é? Como e Quando??? Ele está crescendo… O medo se levanta e eu com toda minha força respondo para o medo: – O Deus que sirvo é bem maior que isso e Nele tudo posso e vou interceder pelo meu filho. E falo pra mim: – Engole o choro! AGORA! Você Mariele tem obrigação de ser forte.
    Ali estou eu de frente com o Eduardo, olho pra ele e o lado “podre” do meu ser fala: – Você o ama???? E eu respondo: SIM! Eu amo. E esse amor é a arma mais forte que tenho para mostrar a todos que o Eduardo È capaz.
    Preciso de um Neuropediatra. Quanto custa. Meu Deus! Não tenho esse valor e agora???? Deus proverá. Como sempre….
    A noite chega. Que bom! Vencemos mais um dia.
    Olho para o rostinho dele dormindo sereno…. E penso: – Queria vê-lo sempre assim: calmo, tranquilo, sem sofrimento.
    Porque sei que ele sofre. Só ele sabe a dor que tem.
    Respiro fundo e me preparo para repousar e me fortalecer para o próximo amanhecer.
    Em minhas orações digo: -Levanta-te Eduardo Henrique, resplandece porque já vem a tua luz e a glória do Senhor vai nascendo sobre Ti.
    Quando penso: – Como será na adolescência, na vida adulta???? Logo, me respondo: – O amanhã a Deus pertence.
    Hoje o Eduardo tem 8 anos. E acredito que Eu, ele e Deus juntos iremos escrever uma linda historia para a vida adulta dele.

  36. Mariele diz:

    Evellin Diniz, meu filho Eduardo tambem tem TEA- Transtorno Espectro do Autismo, sou a Mariele que as vezes chora e ri pra nao chorar. Amei seu blog, foi um alivio pra mim, porque minha familia nao entende, a sociedade me exclui por dois motivos: meu filho e minha deficiencia fisica. Mas vamos vencer porque nao vamos desistir, ai daqueles que fingem que inclui, finge que aceita e …. finge que ajuda. Por que meu filho será um grande homeme. Quem viver verá.

  37. Jeane de Assis Vieira diz:

    Essa história so muda 2 coisas Marcia se chama Jeane e o Pedro Marcos Vinícius como me vi nestas palavras pois é assim mesmo não temos profissionais qualificados,não conseguimos cuidar de nada nem de ninguém e ao mesmo tempo cuidamos e fazemos tudo

  38. Me identifiquei imenso, estou muito emocionada.
    Encontrei o seu texto na página do facebook Síndrome de Asperger – Autismo.
    Obrigada por dar forma a uma dor que nos consome.

  39. lady Regina Torres Guimarães diz:

    Sou avó de João Pedro que é autista, ele é minha vida meu maior tesouro.

  40. Meu nome é Márcia, sou mãe de um anjo azul (autista) chamado Rafael. E qualquer semelhança não é mera coincidência

  41. vanda medeiros rolon diz:

    hoje tenho 71 anos minha filha 44 anos, ela já foi muito severa agrsiva incontrolavel, aponto de tirar os tenis e jogar fora do carro e ate mesmo a roupa, gritos nem vou falar, noites em claro tambem nem vou falar, quantas vezes sai com ela de fininho escondida, e ia da minha casa ate a preia da Costa, eu moro em Vila velha E.S. quantas vezes o dia clareava, e eu com ela no carro, pra la e pra ca, pra não incomodar vizinhos e marido e nora e neto, quando o dia clareava, eu chegava com o pão quentinho, como se nada tivesse acontecido e ninguem perguntava. isto levou muito tempo. faz seis anos que minha filha querida se tornou minha amiga, não vai a escola, pois quando ia era maltratada, e ela tem medo. suas frazes já são completas, sabe tomar banho sosinha, e escolhe as roupas sempre combinado as cores, não sabe ler nem escrever, gosta de bonecas lapiz coloridos, e
    r ervistas de decoraçao Somos Budistas e ela toca o sino e faz Daymoco, e bem antes de me tornar Budista quantas vezes desejei morrer junto com ela. hoje ela sai no banco da frente do carro, comportada, as pessoas nem notam só quando ela fala com a sua voz infantil, e eu digo obrigada por cada momento que estamos juntas, vendo um filme na TV, ou passeando de carro, caminhar já não posso pela artrose so meu joelho e femor. de todos os remedios que tomava, hoje só toma um comprimido a noite de 5mg de Olanzapina, e espero que ainda passa ser alfabetizada, obrigaDa

    meus DEUSES POR TUDO QUE TENHO

  42. Marcia diz:

    Interessante…. Prazer, meu nome é Marcia e sou professora de apoio do João Pedro, ha 2 anos e meio, em uma cidade do interior de Minas Gerais. É uma relação muito intensa. Amo o q faço.

  43. Muito lindo o testo dis tudo a dor de uma mãe de autista seja ele leve mou severo e muito grande minha frustração e imediatamente grande tenho um filho com um potencial enorme r nao tenho como ajudalo por em uma escola boa ele ja fala inglês fluente estudando sosinho pegando daqui e dali livro revista sobre o assunto quer fazer 7m curso de ingles mas nao tenho como pagar doi doi

  44. Moema Maria Falcão Matos. diz:

    Que Deus esteja cempre com vocês.

  45. Teresa Lima diz:

    Bom dia. A realidade de crianças autistas veio para minha vida de uma forma inesperada, recebi 2 cães em doação de uma família que tem uma criança autista. Foi muito forte a situação e desde então tenho acompanhando as postagens que a mãe desta família faz. É uma situação que me comove muito, fico maquinando o que poderia fazer para contribuir de alguma forma.

  46. Iramilde diz:

    Exelente texto

  47. walquiria diz:

    Eu sou uma Márcia…

  48. Joyce josimara Ferreira soares diz:

    Meu deus eu sou uma das marcia, e o meu pedro se chama a rychard é um dia de cada ves e verdadeira mente o autismo do lado de fora e bem complicado mais amo meu filho e em cada sorriso dele me trás a vontade de lutar por ele

  49. Fatima Cardoso diz:

    Evellin parabéns pelo seu trabalho amor e dedicação. E apesar de tudo ainda pensar no próximo …
    Que Jesus te abençoe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s