Li que estima-se que existam 2 milhões de brasileiros viciados em crack. O Governo “apressou-se” em chamar essa realidade de epidemia! Ver, mesmo que só pela TV, o vai e vem de mortos-vivos na chamada Cracolândia é de cortar o coração. Penso nas mães, nos pais, nos irmãos, nos filhos dessas pessoas.

Diante do número alarmante, no “país das Bolsas”, eis que foi criado o Cartão Recomeço, inevitavelmente apelidado de “bolsa crack”. Em resumo: Não se trata de dar dinheiro ao viciado! O dependente é levado para uma clínica conveniada que recebe cerca de R$ 1350,00 por mês do governo do Estado de São Paulo para investir em reabilitação. Afinal, é epidêmico, é urgente, é triste e chocante!

Vamos deixar de fora as motivações e pata quadas políticas (pra mim é como tentar eliminar todos os ovos existentes sem eliminar as galinhas!) Onde eu disse galinhas leia-se a situação das fronteiras, tá! Mas, quero mesmo é focar nos números e vocês entenderão o por quê. 

O vício no crack não atinge somente o dependente. Atinge em cheio a sua família e a sociedade como um todo. É sim uma questão de saúde pública, a saúde das famílias também é abalada. Sem falar nas finanças! O crack subtrai do país 2 milhões de cidadãos que poderiam estar no mercado de trabalho gerando riqueza e pagando seus impostos.

Conheço uma família afetada pelo crack. É pesado! O rapaz fez uma escolha errada em sua vida e agora sua vida não mais lhe pertence. Está doente, o crack decide tudo por ele.

Mudemos de assunto. Mas não mudaremos os dados…

Estima-se que no Brasil 2 milhões de cidadãos são afetados pelo autismo. Mas não existe “Autismolândia”! Não há aglomeração. Não há como chocar e incomodar os governos e a sociedade a tal ponto, reflito.

Onde estão agora esses 2 milhões de autistas então?

Alguns na escola. Muitos fora dela, não se engane!                                                           Alguns à caminho da fonoaudióloga. Outros muitos encarcerados, não se engane!       Alguns poucos, já adultos, trabalhando! Enquanto outros tantos estão dopados e esquecidos em algum lugar sórdido, não se engane!

TODOS os indivíduos com autismo têm seu potencial. Sim, o Brasil precisa sim conhecer o autismo! 2 milhões de autistas são 2 milhões de cidadãos que teriam de ter diagnóstico e intervenção precoces. Cidadãos que necessitam de tratamento médico com uma nova visão: holística, avançada, atualizada, individualizada e compreensiva. Eles precisam de terapia intensiva para melhorar seu desempenho cognitivo e comportamental. Eles podem muito!

As famílias estão à deriva muitas vezes. Os pais indo embora, as mães entrando em depressão. Essa é a realidade. A mãe pára de trabalhar para dar amparo ao filho em suas demandas diárias. Olha a bola de neve! Olha o impacto disso na economia doméstica e na economia do país, gente!

Não me digam que posso interditar minha filha…que poderei aposentá-la. Não me digam isso, me embrulha o estômago! Ela tem apenas 6 anos, está estudando e quero que trabalhe. Entendo que a mesma oportunidade de educação especial que ela tem recebido (do Estado) aqui em Brasília não tenha sido oferecida à esmagadora maioria dos hoje adolescentes e adultos. E isso esmaga meu coração.

O Brasil TEM UMA DÍVIDA ENORME COM O AUTISTA ADULTO. E tem que FIRMAR JÁ UM COMPROMISSO COM AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO T.E.A.

Imagine! Imagine…como no sonho de mundo ideal de John Lennon! Imagine a safra de músicos, atletas, astro-físicos, engenheiros, daqui há 20 anos nesse país! Pessoas que tiveram diagnóstico e intervenção precoces, sendo bem aproveitadas em suas potencialidades tão peculiares. Mentes estruturadas de uma forma diferente. ” Essas mentes são necessárias para o progresso no mundo”, diz Temple Grandin.

E se houver algum deles que, por algum motivo, não chegará lá? Ora, melhorar a qualidade de vida dessa pessoa com autismo e de sua família já não vale todo o investimento?

Me digam…é uma utopia que me move? Escrevo ao país errado?

Lei 12.764, Lei Berenice Piana. Precisamos começar daí. Caminhar por cada parágrafo, cada vírgula que nos contempla. Que jornada! Canso só de pensar! Fazer valer é que são elas!

Enxergará o Governo a NOSSA epidemia?

Hoje em dia 1 criança para cada 88 está recebendo o diagnóstico de autismo. Nos EUA já se fala em 1 para cada 50! Lá só se usa o termo EPIDEMIA!

Concluirei aqui com um pensamento solto, que não amarra meu texto, mas é o que eu mais quero gritar hoje: Todos os pais de autistas comecem a RACIOCINAR FORA DA CAIXINHA (se ainda não o fizeram)!! Afinal, os números estão aumentando! Algum palpite? 

Imagem

Anúncios

About Evellyn Diniz

Hoje eu sou super mãe! Me formando todos os dias nas áreas de saúde e educação. Mas antes de adquirir super poderes fui muitas coisas e ainda sou! Vendedora, professora de inglês, apresentadora de TV, editora de imagens, cantora de banda de rock e fiz faculdade de jornalismo... Atualmente sou mãe e esposa em tempo integral e cuido da casa nas horas vagas! Minhas 3 filhas são minha continuação e minha continuidade. A caçula chama-se Stella Bertille que significa estrela brilhante. Ela veio ao mundo para mudar o mundo para mim, ela veio ao mundo para brilhar! Stella está vencendo o AUTISMO. Este blog é por ela. Destina-se a ajudar pais e mães a entenderem que o PODER de fazer nossos filhos atingirem a plenitude pertence aos pais. Aqui compartilho videos, fotos, matérias, experiências e pensamentos sobre o Transtorno do Espectro do Autismo. Coloque a sua capa e sua roupa de herói que os desafios aqui não são de faz-de-conta!

14 responses »

  1. Berenice Piana diz:

    Parabéns Evellyn por esse artigo realista, cheio de consciência !! O governo enxergará nossa epidemia amiga, quando nossa voz se sobrepor a tudo e todos!! Nossos balões azuis um dia cobrirão o céu do Brasil de tal forma que eles não terão como não ver. Ou quem sabe de mãos dadas, todos de azul formaremos um cinturão em volta do Palácio do Planalto, chamando-os assim para a dura realidade!! Estou pronta!

  2. getulio vargas diz:

    Cara Evellyn
    …eu tinha um sonho ..desde que completei 15, saindo do antigo ginasial…tocando na banda marcial de minha escola estadual…quando escola publica era sinonimo de aprendizagem…era 7 de setembro de 1975, tinha participado do desfile do 7 de setembro…..era órfão de pai….com muitos tios…mas desamparado….mas havia na praça 8 de setembro de Vitória no local onde era a Embratel…uma pequenina exposição da Marinha Brasileira…entrei por acaso…quando vi o que estava passando na tv colocada ali…fiquei como que hipnotizado….via os homens-rã da marinha fazendo exercícios….aquilo despertou em mim uma vocação adormecida, a partir dali peguei os folhetos informativos sobre o Colégio Naval e Escola Naval. Ali eu acreditava que estava diante do meu destino …..não queria saber de quanto era o salário e sim que aquilo ressoava dentro de mim como algo a ser alcançado….em Vitória não tinha cursos preparatório para o Colégio Naval…tentei estudar por mim mesmo….era eu e a auxiliar da biblioteca fora do expediente de minhas aulas….mas aquilo ficou cansativo….pois tinha que aprender sozinho matérias que nunca tinha estudado….bom fui fazer o concurso sem estudar e não passei…tentei de novo e não passei….novamente e não passei…a ultima vez que tentei para marinha foi para Capelão….mas arranjaram um jeito de me reprovar devido a um suposto desentendimento com a idade…..sai daquele concurso falando com outro pastor e ele comigo….já que ele morava em Angra dos Reis onde esta o Colégio Naval….nós dois dissemos a mesma coisa …não entramos mas nossos filhos entraram….meu filho tinha acabado de nascer….já cantava para ele na barriga da mãe dele….cantava hinos evangélicos…e a canção do marinheiro( qual cisne branco ……)…minha esposa a época tinha feito acompanhamento com ultrassonografia todos os meses…..eu era funcionário de uma empresa do governo federal….fui observando certas coisas….mas minha esposa que estudava psicologia sempre me dizia…para não se preocupar…notei o atraso da fala…e ela dizia não se preocupe…ele nunca chorava e ela achava aquilo maravilhoso…eu achava estranho…viemos para Vitória…colocamos na creche…ai começou a acontecer que eu via meu filho levantar e ficar sentado para dormir…achei estranho…ela nada…ele foi para creche…e sempre a noite ele sentava para dormir…ate que passou anos…levamos ele aos 6 anos para a médica ..e ela nos deu o diagnostico…de adenoide e amídalas…operamos ele….passou a dormir melhor e acordava cheio de energia e chorava para ir para escola….só que já tinha passado da fase de alfabetização….e ele não sabia ler…..não sei se devido ao fato de não dormir direito atrapalhou na fase da aprendizagem….creio que sim….houve relatório da pedagoga da creche….fomos a uma médica do SUS…..fazer consulta…a mãe dele e ele entraram….ai a médica me chamou e pediu para eu me sentar….neste momento ela pediu para meu filho lavar as mãos na pia do consultório…quando eu olhei para pia …pensei cadê a torneira??…mas meu filho sem conhecer nada simplesmente pisou num dispositivo no chão e a agua saiu na torneira….ai a medica anotou algo num pedaço de papel e mandou eu pesquisar na internet…e falou assim :” o pai sempre fica mais desnorteado”….fiquei meio confuso….e apreensivo…pois já pressentia que o nome do papel não era uma coisa boa….la estava escrito : “síndrome de asperger”….bom meu mundo veio abaixo…. fiz pesquisa na net….e vi que a doença vinha pelo pai…..a creche já havia detectado alguma coisa mas não quis dizer claro para nós os pais….Bom ai tudo começou a fazer sentido….todas as minhas observações sobre meu filho….fiquei triste pois eu tinha planejado….que pelo menos o Colégio Naval ele faria….depois ele ia procurar uma profissão que achasse ser ideal para ele…fizemos vários exames e foi constatado a síndrome de asperger….apesar de alguns dos portadores ser de extrema inteligência…..meu filho não conseguiu ser alfabetizado ….pois é uma dificuldade ter uma professora para o aluno especial…já observei que o foco dele para o estudos é de apenas uns 40 minutos….pois ai atenção dele se volta para alguns programas de tv infantil educativos….ele sempre soube responder a perguntas difíceis nas salas de aula….sabe ate coisas que a mãe dele não sabe…e até ajuda ela no trânsito….na hora que ela esta dirigindo ou querendo ir a algum lugar e ela não se lembra….aqui em casa ele pega uns cadernos antigos de séries passada e pede para eu ensinar a ele…..ele adora a VALE DO RIO DOCE….e eu falei com ele que para entrar la tinha que saber ler e escrever….foi ai que ele começou a se interessar em aprender em casa….mas o foco dele é só de uns no máximo …40 minutos…..fora que a AMES…onde ele estava sendo acompanhado não tinha equipe pedagógica completa e era muito fora de mão…. mas a boa coisa é que ele é tudo para mim….não pior crise que eu tive ….quando ele se levantou na cama e começou a cantar para mim mesmo não sabendo falar e com um sorriso lindo …foi como se um anjo de Deus cantasse para mim….nunca mais eu me esqueço disso….Ter trabalhado por mais de 11 anos com substancias química tóxicas(Benzeno dentre elas) para o governo federal….segundo pesquisa recente quem trabalhou com benzeno teve dois filhos com síndrome de asperger….que muda tua genética…

    • Puxa Getúlio! Que história! É assim mesmo. Muitas vezes os anseios e sonhos começam na barriga da mãe, mas quando o diagnóstico vem parece que tudo desmorona. Hoje eu tenho uma visão diferente das coisas. Depois de ler algumas biografias e auto-biografias de autistas passei a enxergar que nossa necessidade em colocá-los na nossa fôrma, na nossa lógica, na nossa rotina, pode estar tirando o brilho peculiar dessas pessoas. Creio que eles precisem estar biologicamente e sensorialmente equilibrados para darem o melhor de si. Entendo o autismo como uma condição médica oriunda de gatilhos genéticos e ambientais. Um produto do nosso “novo mundo”, desenvolvido, porém inconsequente. Você pôde enxergar um gatilho ambiental importante ao lembrar que se expôs a substâncias tóxicas por tanto tempo, pode ser. Peço licença para sugerir que, se já não o fez, vc realize um mineralograma do seu filho e ver como pode equilibrar os biomarcadores à partir do resultado. Desejo que seu filho possa desenvolver todo o potencial dele e que seja , acima de qualquer coisa, uma pessoa feliz ao lado se sua família. Obrigada por dividir sua história! “Os cromossomos não têm a última palavra!”

  3. Renato Alvim diz:

    Evellyn, também gostaria de parabeniza-la pelo artigo. Sempre muito sóbria.

  4. POR FAVOR MINHA GENTE, NÃO PODEMOS NOS CONSIDERAR SATISFEITAS! HÁ MUITO AINDA A SE FAZER!VAMOS CONTINUAR A TOMAR ATITUDES!
    ESSE PAÍS TEM MUITO AINDA QUE FAZER POR NÓS!
    NÃO É ESMOLA, É DIREITO ADQUIRIDO A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO!

  5. getulio vargas diz:

    O que são hidrocarbonetos aromáticos policíclicos?

    “Os HPAs são compostos carcinogênicos, pois causam mutações no DNA, sendo um fator essencial no desenvolvimento do câncer.”

    FONTE: link: Avaliação citogenética e molecular de trabalhadores intoxicados …

    neste link esta uma pesquisa meio tendenciosa , mas existe alteração do dna…e correlação da síndrome de asperger com trabalhadores sob benzeno….

    …Na verdade pelas muitas pesquisas que fiz há toda uma nuvem para dissimular claramente os efeitos negativos das substancias químicas tóxicas…as indústrias que operam com químicas solicitam pesquisas maceteadas….e deixam no ar resposta e ao mesmo tempo dúvidas…..eu sou químico…..sei dos males que me causaram tais substancias químicas tóxicas……olhem para o passado …qual era a doença epidêmica entre as crianças?….o raquitismo….aos poucos a química em volume cada vez maior foi transformando a saúde da população….a química dos alimentos….alguns originam la no petróleo….no meu tempo de criança refrigerante era um luxo….havia muito pobreza no Brazil….ai chegou devagar e incrementando a indústria alimentícia com a química….no campo os trabalhadores rurais passaram usar novas substancias químicas para combater as pragas…..ainda hoje tem muita gente que mesmo tendo a internet é meio analfabeto de o quanto a química nociva esta na sua mesa…meu primo é cafeicultor….batia química na lavoura dele …só que no pé da lavoura de café…havia uma fonte de agua….ele bebeu da agua da fonte por muitos anos e bateu química no café por muitos anos…logo se vc pensou que ele se deu mal….pois se deu mesmo….hipertensão….tirou todo o estômago e esôfago….e pela misericórdia de Deus esta vivendo….a química chega ao teu doce lar através das frutas e alimentos…..isto só tem gerado doenças genéticas, degenerativas, e o SUS que hoje pela norma é o responsável pela saúde da população não tem esclarecido a população….Você já viu como o medico em geral conversa com você , quando conversa, ele anota que vc esta obeso(a), pergunta se vc fuma(química), se vc bebe(química), sua obesidade é consequência da química..a obesidade virou epidemia …a hipertensão também advinda da obesidade…… olha para trás …..la atrás não conheci ninguém que era Asperger…e nem autista….depois que a química incrementou a nossa vida pode esperar doenças e mais doenças….enquanto isto a indústria química paga a peso de ouro as pesquisas para suavizar os efeitos….depois pesquise aqui na net: FISPQ da gasolina . Lá no final da FISPQ vai esta um conselho para que se não lance a substancia em meio aquático, sabe por que?…porque mata a vida….se mata a vida aquática o que fará dentro do teu organismo?…..PENSEM……

  6. eunildes francisca Mantovaneli diz:

    acho válido o tratamento do tal degenerado crak ,porque não? mas tudo deve ter o seu lugar AUTISMO PRECISA SER URGENTEMENTE RESOLVIDO já que não é nada difícil resolver, ter profissionais treinados para o governo é bem menos dispendioso do que o tal crak e o governo tem verba sim só precisa boa vontade e capacidade que sei que tem e fazer voltar aos cofres Público o nosso dinheiro roubado até então só isso já vai dar para concluir ,afinal já temo médicos formados nas áreas só tem que oferecer as especializações para os mesmo e formar mais é difícil?para mim sim mas para vocês não apelo aos responsáveis esta é a minha resposta por enquanto afinal é saúde que queremos

  7. Hercilio diz:

    Entendo seu desabafo, sou pai de um autista adulto, tardiamente diagnosticado por ter uma surdez moderada também, dai ter concluído que qualquer deficiência e tratada como incapacidade, diversos profissionais de diferentes áreas colocaram na surdez a culpa pelo que na verdade era autismo. Antes disso foi deficiência intelectual e antes ainda psicose ou outro transtorno, em comum o fato de que e comum certos sintomas aparecerem depois da adolescência.
    Acho correta a lei recente, e preciso inclusão, mas também e preciso aceitar que há casos onde a inclusão não resolve, ao contrario atrapalha. Nenhuma das leis recentes trata dos excluídos, os milhões que depois de certa idade a escola vai rejeitar até com base na lei, os adultos que não conseguem se profissionalizar precisam de tratamento de saúde e de socialização, o que só uma espécie de escola que os acolham poderá resolver.
    Hoje so em Brasília isso existe e esta ameaçado, por isso os pais criaram movimento para defender ensino publico sem limite de idade para esses casos. há autistas e autistas, casos mais severos não se encaixarão na escola regular e não terão profissão, esses precisam de alternativa para não ficarem em casa a toa. Levei anos para aceitar isso, por isso acho que quanto mais esclarecidos forem os pais melhor para eles e os filhos.
    Muitos no inicio da jornada se iludem achando que e só tratar, incluir que uma hora explode e fica tudo bem, não há explosão, há pequenos e constantes avanços, as vezes há retrocessos, não e uma doença que tem remédio que cura, e uma condição para toda a vida, ama-los e cuida-los e o que resta, aceitar a condição e pre-requisito.

    • Hercílio, compreendo sua colocação. Como eu falei no texto, alguns podem até não alcançar um nível de alfabetização, de inclusão no mercado de trabalho, contudo é importante, no mínimo, melhorar a qualidade de vida desse autista e de sua família! O ócio não é bom para ninguém, os autistas em idade adulta, os mais severos no espectro… precisam de tanta assistência (médica/terapêutica) quanto os recém-diagnosticados. Cada caso é um caso a ser analisado, todos precisam ser contemplados. Um abraço!

  8. Agora que temos uma lei, temos que nos unir para tirá-la do papel ! e precisamos de conscientização de todos! do Estado para com os autistas, e principalmente dos profissionais, como vc disse um dia “eu não escolhi ter filho autista, vcs profissionais escolheram trabalhar com autistas, então honre isso dando o melhor de si!” abaixo os pseudo-profissionais, picaretas, que só atrapalham ( conheço tantos!) porque estão montados em um cargo público concursado, como se tivesse ganho na loteria, e nada mais precisasse ser feito! vista a carapuça quem tiver bom senso!

  9. Álvaro Almeida de Britto diz:

    É preciso haver lugar para todos, para o tratamento de narcodependentes e para o dos autistas ou portadores de qualquer desvio daquilo que é considerado a “norma”. Uma não pode excluir a outra. Todas as lutas por inclusão e pelo exercício de direitos de humanidade são igualmente justas.
    Uma coisinha a mais: precisei ler o texto duas vezes para entender que aquela “pata quada” queria dizer “patacoada”. Meu propósito, compreenda por favor, não é o de corrigir por corrigir, mas o de ajudar a melhorar. Conheço escritores profissionais excelentes que trabalham com o dicionário on-line conectado 24h, sete dias por semana.

    • 🙂 Nossa Álvaro! E se eu te disser que foi o corretor de texto que eu uso que jogou essa correção? Vou procurar fazer isso daqui pra frente, grata pela dica! Obrigada por participar aqui no blog com sua visão sobre o assunto. Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s